Skip to content Skip to footer

São Paulo registra mais de 700 obras públicas paradas ou atrasadas

As cidades paulistas registraram 734 obras atrasadas ou paralisadas que já consumiram cerca de R$ 15,4 bilhões dos cofres públicos, com estimativas que o prejuízo total possa atingir até R$ 30 bilhões, segundo levantamento feito pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP). O relatório aponta que, dessas obras, 262 encontram-se atrasadas, enquanto 472 estão paralisadas. Essa problemática não se limita apenas à capital paulista, mas se estende por 288 dos 645 municípios do Estado, abrangendo áreas do litoral, interior e da região metropolitana. Os projetos afetados incluem desde a construção de ferrovias e rodovias até a expansão de linhas de Metrô e CPTM, sem deixar de lado importantes obras nas áreas de educação, saúde e segurança pública.

cta_logo_jp

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

WhatsApp

Um dos exemplos mais notórios dessa situação é a obra da linha 5-lilás da CPTM, cuja finalização estava prevista originalmente para 2014. O que começou com um orçamento de R$ 191 milhões, já ultrapassou a marca dos R$ 363 milhões. A expectativa é que a gestão atual, mesmo não sendo responsável pelo início de muitas dessas obras, forneça um panorama claro sobre os esforços para resolver os atrasos e paralisações. O TCE-SP enfatiza a importância de atualizações sobre o progresso dessas obras, indicando a necessidade de uma gestão mais eficiente e transparente.

Publicado por Luisa Cardoso

Leia também


Custo da obra do Rodoanel Norte salta de R$ 7 bi para R$ 13 bi em 10 anos


Governadores e prefeitos têm mais 12 dias para atualizarem dados sobre obras paradas

Leave a comment

0.0/5