Skip to content Skip to footer

Putin terá novo encontro com Xi Jinping em meio a escalada de tensões globais

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, visitará a China nesta quinta e sexta-feira (16 e 17), sua segunda viagem ao país asiático em pouco mais de seis meses, anunciou o Ministério chinês das Relações Exteriores nesta terça-feira (14). “A convite do presidente Xi Jinping, o presidente russo Vladimir Putin fará uma visita de Estado à China de 16 a 17 de maio”, anunciou a porta-voz do ministério, Hua Chunying. Esta será a primeira viagem ao exterior do presidente russo desde sua reeleição em março e o quarto encontro presencial entre os dois líderes desde o início da invasão russa da Ucrânia, em fevereiro de 2022. Poucos dias antes do início da ofensiva militar, Rússia e China afirmaram que mantêm uma amizade “sem limites”. Desde então, a relação diplomática e comercial entre os países foi intensificada.

“O presidente Xi Jinping trocará pontos de vista com o presidente Putin sobre as relações bilaterais, a cooperação em vários campos e questões internacionais e regionais de interesse comum”, disse outro porta-voz, Wang Wenbin, em uma entrevista coletiva. O Kremlin indicou que os dois presidentes pretendem discutir a “parceria global e a cooperação estratégica”. Além da assinatura de uma declaração conjunta, os dois participarão em uma cerimônia para comemorar o 75º aniversário das relações diplomáticas entre os dois países, informou o Kremlin. Muitos analistas destacam que a Rússia está cada vez mais dependente da China, que se tornou um parceiro econômico crucial diante da avalanche de sanções ocidentais decretadas em resposta à sua ofensiva militar.

cta_logo_jp

Siga o canal da Jovem Pan News e receba as principais notícias no seu WhatsApp!

WhatsApp

Nos últimos meses, Pequim ignorou as críticas ocidentais sobre seus vínculos com Moscou, ao mesmo tempo que foi beneficiada pelas importações de gás e petróleo com preços reduzidos do país vizinho. O comércio entre China e Rússia disparou desde a invasão da Ucrânia e alcançou 240 bilhões de dólares em 2023, segundo Pequim.  Mas as exportações chinesas para a Rússia caíram em março e abril deste ano devido à ameaça de Washington de adotar sanções contra as instituições financeiras que apoiam o esforço bélico russo.

*Com informações da AFP

Leia também


Rússia mobiliza mais de 30 mil soldados em nova ofensiva na Ucrânia e se prepara para ‘longa’ guerra contra o Ocidente


Xi Jinping viaja para Europa pela primeira vez em cinco anos

Leave a comment

0.0/5